Ovelhas da Morte

| domingo, 31 de outubro de 2010 | 0 comentários |
Estava pesquisando sobre mortes "interessantes", quando me deparei com esta:
Uma fazendeira Inglesa chamada Betty Stobbs morreu após ser atacada por seu rebanho de ovelhas em 1999. Ela dirigia um quadriciclo motorizado enquanto levava comida para seu rebanho, quando foi atacada pelo grupo de ovelhas enlouquecidas que buscava a comida desesperadamente. No tumulto, as ovelhas viraram o veículo que caiu sobre a fazendeira, que morreu logo depois.
Uma testemunha disse que “Quando se têm 40 desses animais correndo para cima de você, é uma força tremenda”.

Crânio largado!

| sábado, 30 de outubro de 2010 | 1 comentários |
 Imagine você indo visitar o túmulo de seu parente querido e encontrar um crânio perto da cova que você iria visitar.
Que horror!!!!
Essa cena aconteceu hoje em Brasília, no cemitério Campo da Esperança. Imaginem o susto de quem encontrou esse crânio!
Bem, pra falar a verdade, quem o encontrou foi um jardineiro clandestino do cemitério. O próprio jardineiro disse que uma vez encontrou um dedo jogado entre os túmulos.
A administração do cemitério afirma que o fato foi realizado para sujar a imagem do cemitério, que ano passado foi alvo de investigação criminal.

Mensalinho e dever de casa (parte 2)

| sexta-feira, 29 de outubro de 2010 | 0 comentários |

Gente esqueci de analisar o vídeo!




Essa tarefa consiste em analisar diplomaticamente e tipologicamente o vídeo do famoso fight entre Gabeira e Severino.
Bem então vamos começar:

Analise Tipológica e Diplomática

Denominação do documento: Gabeira nocauteia Severino
Denominação da Espécie: Vídeo
Data Tópica: Brasília
Data cronológica: 06/04/2006
Gênero: Audiovisual
Meio: Página da WEB
Forma: Cópia
Formato: Eletrônico
Entidade Produtora: TV Câmara
Função Administrativa: Registro da sessão da Câmara dos Deputados
Função arquivística: Registrar a memória dos atos da Câmara dos Deputados por meio da TV Câmara. Dar Acesso ao povo Brasileiro dos atos legislativos da Câmara dos Deputados.
Descrição: Documento audiovisual, retirado do programa da TV Câmara da sessão do Plenário da Câmara dos Deputados.

ATIVIDADE 2 Mensalinho e dever de casa!

| | 2 comentários |
A tarefa desta semana é falar sobre a autenticidade deste documento que foi produzido na Câmara dos Deputados.
Este documento foi produzido sobre tais circunstâncias (Leia atentamente pois não vou repetir):
Severino Cavalcanti era presidente da Câmara dos Deputados e como tal se sentia o Coronel do pedaço. Como coronel estava cobrando para que certos contratos administrativos fossem mantidos. Mas como diria a Bíblia: "Mas nada há encoberto que não haja de ser descoberto; nem oculto, que não haja de ser sabido. " (Lucas 12:2); aparece então uma denúncia revelando que o dito coronel estava cobrando para que o restaurante da Câmara  pertencente ao empresário Sebastião Buani, continuasse a prestar seus servissos alimentícios.
Galera foi um bafafá, e uma tal de vossa excelência pra cá e pra lá. E então é apresentada uma prova do tal ato, imaginem o que ? Um documento !E a nossa tarefa de casa consiste em analizar este documento e um vídeo de uma dessas trocas de farpas que acontecem todos os dias no Congresso Nacional.

Agora vamos a Diplomática e a Tipologia dos documentos.


Este é o documento que gerou tanta confusão!

Autêntico?
Dando uma passada por todos as reportagens que vimos chegamos a conclusão de que este documento não é autêntico. Segundo perícia realizada por Adamastor Nunes de Oliveira (integrante da Sociedade Internacional de Peritos em Documentoscopia, da Associação Brasileira de Criminalística e do Núcleo Técnico-Científico Forense) que fez uma pesquisa entre as assinaturas do deputado Severino Cavalcanti nos anos de 2002 a 2005 e percebe-se que a assinatura do documento que se encontra no ano de 2002 é uma assinatura legitima porém ela se assemelha com a assinatura de 2005.
Deve ter ficado tudo embolado na sua cabeça mas o fato é simples e explicarei. No ano de 2004 Severino sofre um derrame e por causa da perda de mobilidade física a sua assinatura é também modificada. Mas como assim o documento assinado é de 2002 e a assinatura tem caracteristicas de 2005?
Este fato já torna o documento não autêntico, pois de acordo com Duranti “Documentos diplomaticamente autênticos são aqueles que foram escritos de acordo com as práticas de tempo e lugar indicados no texto e assinados com o ou os nomes das pessoas competentes para criá-los”. Ou seja o documento pode até ter todos os seus pré-requisitos, porém as datas não estão contextualizadas com o tempo da assinatura.
Não sei, parece até coisas de filme americano.

E quanto a veracidade? 
Quanto a veracidade do documento vou ficar com meus coleguinhas, o documento não é verídico pois ele não poderia prorrogar por mais de 24 meses, sendo assim o documento não é autentico nem verídico.






Notícias Infames

| terça-feira, 26 de outubro de 2010 | 2 comentários |
Um dia desses estava eu vasculhando o Twitter e percebi que entre os termos mais twittados do mundo estava o termo Tiririca morreu.
Caramba, foi minha expressão de susto, pois mal o bixinho ganha a eleição e morre, parece um pouco com a história do Tancredo. Porém fui conferir a história para ver se era real e infelizmente não era real.
Uma coisa muito comum hoje em dia é recebermos noticias falsas por e-mail ou pelas redes sociais. Quando aparece um e-mail dizendo que alguém morreu, já deleto de cara.
Agora de vez em quando levamos um susto quando sabemos que alguém morre, tipo a Derci Gonçalves, gente eu pensei que ela iria ser eterna -  assim como o Silvio Santos, a Hebe Camargo e até a Xuxa. 
Mas de fato a unica certeza que temos é que um dia morreremos.

ATIVIDADE 1 Análise Documental

| sexta-feira, 22 de outubro de 2010 | 1 comentários |

Nome: Certidão de óbito
Definição: documento cujo conteúdo é extraído do assento de óbito lavrado em um livro depositado aos cuidados de um cartório de Registro Civil. (Wikipédia)
Gênero: textual
Suporte: papel
Forma: original
Formato: documento eletrônico
Titular: José Lourenço Neto
Função Arquivística: registro que prova o falecimento e alguém.